Policiais militares salvam vítima de ataque cardíaco em Planaltina

Policiais militares salvam vítima de ataque cardíaco em Planaltina

- em GERAL
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Dois policiais militares salvaram a vida de uma mulher na madrugada do último domingo (26/06) em Planaltina, cidade localizada na região do entorno de Brasília. Os Soldados Vilela e Freire estavam de folga, voltando de um passeio em uma chácara da região quando ouviram gritos de socorro.

Segundo o Soldado Vilela, havia uma festa no lugar e as pessoas estavam pedindo ajuda por conta de Denise dos Santos Mendes, que estava passando mal. Os populares não tinham veículo para transportar a mulher e, mesmo de folga, os militares colocaram a senhora no carro e a encaminharam para o hospital.

O policial conta que, no momento em que colocaram a mulher no banco de passageiro do carro, ela teve uma parada cardíaca. “Eu comecei imediatamente a fazer massagem cardiorrespiratória e o Soldado Freire foi conduzindo o veículo. Ela chegou a ficar cinco minutos sem voltar, até que começou a respirar.”

Denise chegou a ter outra parada antes de chegar ao hospital e o Soldado Vilela não desistiu, apesar de já sentir dores no braço por conta das massagens cardíacas, e prosseguiu com a reanimação. Na unidade de saúde, a mulher foi estabilizada e diagnosticada com parada cardíaca e depressão respiratória devido o uso de um medicamento.

Segundo o Soldado Vilela, a mulher tinha sofrido um acidente anos antes e usava o remédio para controlar a dor e os espamos musculares. Na noite de sábado (25) ela começou a tomar o medicamento para aliviar a dor, mas não teve sucesso. Então, ela tomou um segundo e, por fim, um terceiro comprimido, que teria causado o ataque.

De acordo com os médicos que atenderam Denise, a mulher só conseguiu sobreviver devido a assitência dos policiais militares. A distância entre o local do ataque e o hospital são de 15 quilômetros e, sem os primeiros socorros dos soldados, ela provavelmente viria a óbito ou teria sequela cerebrais irreversíveis.

Fonte: Mais Goiás

Comentários com o Facebook