Mulher inventar gravidez como vingança e faz até festa falsa de um ano da criança

Mulher inventar gravidez como vingança e faz até festa falsa de um ano da criança

- em BRASIL E MUNDO
Foto: Divulgação

Em Ribeirão Preto, São Paulo, uma moça de 24 anos é suspeita de fingir estar grávida do ex-namorado e até de fingir que a criança tinha nascido. Tudo isso com o motivo de se vingar do ex. A jovem ainda falsificou um exame que induziu a Justiça ao erro. De acordo com informações do rapaz que seria o pai do bebê, ele só descobriu que era tudo mentira um ano depois, durante o que seria a festa de aniversário de um ano da criança.

De acordo com o Ministério Público, se for comprovado que outras pessoas ajudaram ela a manter a farsa eles responderão criminalmente junto com ela. O advogado da jovem afirma que ela está em tratamento psiquiátrico.

Entenda o caso

Victor e Pâmela mantiveram um relacionamento durante quatro anos. Ela não aceitava o fim da relação e tentava reatar. Pouco tempo depois do último encontro dos dois ela lhe mostrou um exame de gravidez e disse que estava grávida dele. Os pais de Victor foram inclusive convidados para assistir o parto, mas se negaram. O rapaz que pagou todas as despesas da gestação nunca conseguiu ver a filha.

A família de Victor desconfiada foi atrás de mais informações sobre a criança, e descobriu que na vizinhança ninguém nunca tinha visto Pâmela com uma criança, e descobriu também que o exame de gravidez tinha sido falsificado. A farsa chegou ao fim na festa de um ano da criança, que custou cerca de 3 mil reais. A mãe de Victor foi até a festa e chegando lá nem a mãe nem a criança estavam lá. Pâmela disse que não estava lá porque um oficial de justiça havia chego em sua casa por uma denúncia de maus tratos. No fim, uma mulher chamada Emilly invadiu a festa e afirmou que três pessoas tinham tentado levar a filha dela de sua casa. A Polícia Militar foi chamada e Pâmela foi levada para prestar esclarecimentos.

Os pais da jovem relataram que não sabiam sobre a farsa, que ela falou desde o dia que seria do nascimento da criança, que a criança havia nascido com problemas no coração e teve de ficar internada e que não era possível acesso a criança por causa da internação.

A Polícia Civil, a pedido do Ministério Público, instaurou um inquérito para investigar o caso. A jovem poderá responder por utilização da Justiça de forma indevida e por falsificação de documentos.

As informações são do Massa News

 

Comentários com o Facebook